Regressão a
Vidas Passadas

Quais os benefícios?

De que forma este método pode me ajudar?

Imagine a seguinte situação: você sofre um acidente de automóvel. Como resultado disso, uma lembrança carregada de intensidade é impressa em seu sistema juntamente com um pacote de reações secundárias involuntárias.

À partir deste dia, pensar em dirigir, ou passar pelo local do acidente, ou recordar-se do momento em que ele aconteceu, são suficientes para causar reações descontroladas em seu sistema nervoso: seu coração dispara, a pressão arterial se eleva, um estado de ansiedade surge sem motivo real e inúmeros pensamentos negativos relacionados ao acidente – não importa há quantos anos atrás ele tenha acontecido – ressurgem em sua mente. Na psicologia ocidental, chamamos isso de trauma. A sabedoria védica (que já mencionava este mecanismo pelo menos 5000 anos antes de nós) dava a isso o nome de samskara.

No exemplo, existe um evento (o acidente) em nossa memória, e sabemos que ele nos causa reações (medo, nervosismo). Nossa mente consciente compreende a conexão entre ambos, e por isso lidar com o trauma e suas consequências torna-se relativamente mais simples. Podemos dizer algo do tipo: “depois daquele acidente, nunca mais me senti seguro para dirigir” e viver com isso – ou se formos mais sensatos, procuramos um terapeuta pra solucionar isso rapidamente! :-). Mas o fato é: como lembramos do incidente e sabemos que ele é a causa de sensações e emoções desarmônicas, temos referências pra tomar uma atitude e nos libertar do desconforto.

Imagine agora uma situação completamente diferente: suponha que quando criança, você tenha passado por uma situação de abuso (físico, emocional ou sexual). Com o passar dos anos, a memória do que você viveu tende a desaparecer de sua mente consciente (pense agora em quanta coisa do período de infância simplesmente sumiu de suas memórias!). Mas deixar de lembrar não significa que a informação relativa àquele evento tenha desaparecido: tudo que vivemos é continuamente armazenado em nosso inconsciente e se processa diariamente em forma de impulsos emocionais latentes em nossa personalidade.

Como resultado disso, e “sem nenhuma explicação”, você desenvolve características em sua personalidade. Talvez seja alguém que machuca as pessoas, ou que se machuca em troca de migalhas em seus relacionamentos; talvez se torne autoritário, ou se transforme num capacho que resolve os problemas de todo mundo e se coloca sempre em segundo lugar. Se o abuso foi sexual, pode se tornar uma pessoa solitária e sem família, ou ter impulsos totalmente opostos, transformando-se em alguém promíscuo que usa o sexo como forma de ganhar um pouco de carinho. Enfim, existem inúmeras possibilidades, mas a realidade é apenas uma: um trauma nunca se cala – por menor que seja. Ele sempre vai encontrar uma forma de se expressar, nos levando a ter atitudes e comportamentos coerentes com a forma/evento com que foi gravado.

Por isso, obviamente, nossas dificuldades e problemas (não importa em que área de nossa vida) tem por base os eventos mal resolvidos do passado.

Mas aqui vem algo que é fundamental ser compreendido: quando a origem do trauma é um evento completamente desconhecido de nossa mente consciente, as referências do nosso “eu pessoal antes e depois” tornam-se totalmente distorcidas pela intensidade emocional vivenciada. Isso provoca uma ruptura em nosso campo de energia, nos impregnando com impulsos e novos comportamentos que, com o passar do tempo e a força do hábito, nos levam a acreditar que “eu sou assim” e a nos ver como “isso sou eu” – tudo de forma tão inconsciente e automática que sequer nos questionamos sobre a veracidade destas definições!

E pra complicar, existe ainda outro importante detalhe: precisamos ser honestos – nós não vivemos em um mundo de luz! O que quero dizer com essa afirmação é que situações negativas ou traumáticas todos nós vivemos, nos mais diferentes graus e intensidades. Nesta vida, e em todas as outras experiências que tivemos encarnados neste planeta. E o resultado disso é bastante previsível: uma coleção de impressões emocionais distorcidas e viciadas, incontáveis impulsos inconscientes, tudo isso nos manipulando em nossos bastidores como os fios invisíveis de uma marionete, nos levando a fazer coisas que não contribuem em nada para nossa evolução, e ainda nos conduzindo a diversos níveis de sofrimento físico, mental e emocional. Sem falar na falta de consciência e lucidez espiritual.

Camadas - como uma cebola!

Mas se você chegou aqui e está se perguntando – “afinal de contas, porque eu nunca percebi isso antes?” – entenda o seguinte:  nós não somos seres lineares, e todos possuímos diferentes níveis de consciência (mente consciente, subconsciente e inconsciente são termos que ilustram esta questão).

Quando você lê este texto, por exemplo, ou cuida de suas atividades diárias, está atuando a partir de níveis superficiais, chamados consciência ordinária ou mente discursiva (termos praticamente autoexplicativos).

Esta parte é a mesma “mente falante” que produz a voz incessante em sua cabeça, que compara constantemente pessoas e situações, que julga e justifica suas atitudes, que rotula constantemente aquilo que vê. Mas lembre-se do que falamos até agora: somos o resultado de todas as nossas experiências, e estas experiencias são a origem de nossos pensamentos e comportamentos presentes, lembremos delas ou não.

Isso tudo é ponto comum em todos os métodos de cura e autotransformação. Porém, cada um destes métodos nos dará resultados equivalentes ao nível de consciência que será acessado.

Por exemplo, ao trabalhar com crenças (o pilar central de muitos métodos discursivos), atuamos em níveis pouco mais profundos da mente subconsciente. Crenças são pensamentos condicionados, em alguns casos sendo facilmente identificados por um especialista, mesmo que passem despercebidos pelo cliente (ou seja, eles não são tão ocultos quanto normalmente se supõem!).

Ao ingerir uma essência vibracional, como florais, ele vai nos trazer resultados positivos, eliminando desconfortos físicos ou emocionais, nos equilibrando e nos apoiando em momentos decisivos de nossa vida.

Quando utilizamos reiki ou outra técnica de transmissão de energia, novamente eles farão seu papel no bem-estar de quem o recebe. E nada há de errado em usar métodos que aliviem o sofrimento humano.

Tudo isso pode ser muito eficaz na superfície, e tem a capacidade de aliviar muitos sintomas e pacificar conflitos, mas sem o conhecimento específico, os verdadeiros monstros das profundezas continuam intocados! E por este motivo, muitas pessoas que atuam ou recebem estes métodos se surpreendem ao examinarem a si mesmas à partir da perspectiva expandida causada pela regressão: elas percebem incontáveis impulsos negativos sendo diariamente processados, pensamentos subliminares, desejos e aversões, que passavam completamente invisíveis de sua percepção – da mesma forma que um peixe não vê a água que o rodeia!

Regressão - porta para a Luz!

Ao lidar com regressão, algumas coisas precisamos compreender seu enorme diferencial: sair do contexto da “mente ordinária” a que estamos acostumados (que é apenas uma pequena fração de quem somos) e nos abrir a um vasto espectro de novos níveis de consciência (nossa Infinitude Interior).

Esta abertura interior permite nos aproximarmos cada vez mais das origens de bloqueios energéticos arraigados em nossa alma.

Porém, recorde-se que traumas são experiências produzidas por intensa carga emocional, exigindo portanto uma certa dose de disposição para libera-los.

Além disso, o fato de carregarmos bloqueios submersos em nossa mente (totalmente desconhecidos) provoca confusão interior – desde oscilações emocionais e energéticas até o infinito bla bla bla na mente das pessoas. E para que a distinção entre a pureza e espontaneidade do Ser e a energia viciada do bloqueio possa ser distinguida, é preciso uma pequena cirurgia: re-experienciar o momento em que isso foi impresso (é quase um “ver pra crer”). É essa experiência direta que aciona certas chaves em nossa consciência, e nos permite reconhecer a realidade de comportamentos que considerávamos normais como algo agregado a natureza original de nosso Ser.

Pra entender melhor este conceito, procure exemplos em sua própria vida: observe quantas coisas ou hábitos você já abandonou quando se deu conta de que este comportamento era nocivo.

Por outro lado, é precisamente a existência destes bloqueios (samskaras) em nosso interior aquilo que bloqueia nossa consciência! Por isso, mais do que tudo, processos de regressão são viagens de abertura espiritual e conexão superior! Estes bloqueios profundos são as nuvens, nosso Ser Superior é o sol – e Este somente pode ser visto e sentido em toda sua intensidade em um dia de céu claro.

Ao limpar estas nuvens – e sentir com mais pureza nossa própria Luz Interior – nossas práticas espirituais e meditação são alavancadas para um novo nível. Você estava tomado por ondulações em sua consciência (eram seus bloqueios desconhecidos gritando), que agiam como âncoras limitando sua abertura interior – mas vivia com elas a tanto tempo que sequer percebia como eram barulhentos e pesados!

À medida em que estas cargas inconscientes são mais e mais dissolvidas, passamos a viver em um novo estado de consciência. E dentro deste novo nível, a leveza, a tranquilidade e a paz são algo totalmente naturais e espontâneos. Não é necessário “fazer algo” para senti-los: eles se tornam nossa nova natureza. Nos tornamos mais sensíveis e intuitivos. Percebemos então que estávamos carregando um enorme peso, e não fazíamos a menor ideia de que “isso” era a causa de nossos problemas!

Podemos experienciar a sensação de continuidade que está além do tempo ou do entendimento mental, através de um “sentir” que palavras não conseguem descrever, acrescentando uma dimensão metafísica REAL em nossas vidas.

Passamos a viver de maneira muito mais profunda, muito além da experiência que qualquer crença poderia nos proporcionar – e começamos, verdadeiramente, a SER MAIS!

sacred-geometry

Perguntas e respostas

É preciso acreditar em algo para passar por uma regressão?

Regressão é um fenômeno da consciência humana, independente de crenças ou religiões. É importante que você esteja aberto a viver uma nova experiência.

Conhecemos vidas passadas para escrever um romance?

Poderíamos dizer que estudar vidas passadas é apenas o meio, mas o destino são níveis de autoconhecimento que nos permitam a liberdade, a paz e a realização de nosso propósito maior nesta vida.

Que método é utilizado?

A técnica consiste na exploração do corpo de energia para identificar frequências desarmônicas no cliente (sem transe, hipnose ou respiração), atingindo uma profundidade na investigação metafísica que métodos discursivos não alcançam.

Isto permite que as memórias sejam muito nítidas, revivendo episódios passados com todas as sensações, percepções visuais e auditivas, levando a intensas liberações emocionais.

Existe perigo em realizar uma regressão?

Bem, precisamos entender que nem tudo é pra todos!

Se você não está seguro, toma medicamentos controlados, tem quadro psiquiátrico, de hipertensão ou debilidade cardíaca, então regressão não é pra você. Grávidas devem aguardar o fim da gestação.

O mesmo princípio se encaixa se está “curioso” sobre o processo. Nestes casos, outros métodos menos intensos são recomendados. É preciso uma certa “maturidade” pra passar pelo processo.

Qualquer pessoa consegue atingir um estado de regressão?

Entenda que acessar memórias e novos estados de consciência depende muito mais ‘da pessoa’ do que ‘da técnica’ utilizada!

Por isso, como ocorre em qualquer método, algumas pessoas têm resultado imediato.

Outras precisam de mais sessões para se conectar a estes estados.

Muitas simplesmente não o atingem!

Meditadores, em geral, conseguem regressar com mais facilidade (se você conhece meditação Vipassana, existe uma similaridade de princípios).

Quais as aplicações? De que maneira um processo sistemático de terapia de vidas passadas pode me beneficiar?

A meta de qualquer trabalho de autoconhecimento é nos tornar mais despertos e mais conscientes, enxergando nossa realidade com cada vez mais nitidez. 

Ao expandir nossa consciência acima dos limites convencionais, costumamos sofrer uma transformação profunda em nossa maneira de encarar a vida.

Mas acima de tudo, mais do que apenas um método de resolução de questões emocionais e desbloqueio energético, é uma porta para nos aproximar de nosso Ser Superior em toda sua grandeza!